PLANEJAMENTO DIDÁTICO PEDAGÓGICO

Disciplina: Matemática

1° Ano do Ensino Médio - Ano 2006.

Escola Estadual “Pedro Alberto Tayano”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EDUCAÇÃO PARA A SOCIALIZAÇÃO

 

Docente: Jersira Poletto de la Bandeira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TANGARÁ DA SERRA, MT.

2ª ETAPA DO “PLANEJAMENTO ANUAL”

Após realizar o diagnóstico da comunidade, encontramos os seguintes duelos:

O município onde minha escola está inserida é bastante próspero, há 16 (dezesseis) escolas estaduais e cerca de 40 (quarenta) escolas municipais.

Há três faculdades particulares, sendo uma delas faculdade de pedagogia, e um campus da Universidade Federal do Estado de Mato Grosso, com vários cursos ministrados.

Contudo, a minha escola se encontra em um bairro periférico e bastante carente. Neste levantamento foram detectados os seguintes dados:

- Pais com cursos superiores são raros, ainda encontramos muitos pais analfabetos;

- Quanto à economia familiar apenas 70% das famílias possuem moradia própria e com renda média de aproximadamente quatro salários mínimos e os 30% restantes até um salário. Deste total apenas 20% possuem veículos automotores enquanto 80% se utilizam dos transportes coletivos.

- Na maioria das famílias os pais trabalham fora o dia todo e as crianças ficam sozinhas ou com irmãos. Portanto, pode-se perceber que temos muitas dificuldades, até de reunirmos os pais para uma discussão acerca do desenvolvimento do seu filho.

Com esses dados coletados e de acordo com o Planejamento Político Pedagógico da escola fiz o meu planejamento.

 

PLANEJAMENTO

Ponto alto que norteará todo o meu trabalho educacional.

 

OBJETIVO GERAL

Oportunizar aos educandos a participar e desenvolver suas potencialidades inerentes ao curso do ensino médio, 1° ano, de forma que se sintam capacitados para um futuro promissor.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Atender aos anseios dos educandos dentro das possibilidades seguindo sempre o que foi pré-estabelecido, embora com exceções, pois as oportunidades vão surgindo a cada passo no decorrer do trabalho.

 

OBJETIVOS EDUCACIONAIS

Estabelecer o significado de avanço e retrocesso, lucros e perdas e socialização dos educandos.

 

ESTRATÉGIAS

Aproveitamento de todo o espaço que a escola oferece além de visitas aos pontos que fornecem importantes dados como, por exemplo, os supermercados, a empresa responsável pelo fornecimento de energia elétrica, a estação de tratamento de água do município, dentre outras secretarias, para despertar a curiosidade e a criatividade dos alunos.

Foram feitas pesquisas na biblioteca para a verificação de gráficos estatísticos, fazendo a análise dos mesmos.

Livros didáticos e apostilas de vários cursos preparatórios (métodos Dom Bosco e outros) também são objetos para a pesquisa.

 

CRONOGRAMA DE OBSERVAÇÃO

Quanto ao bom relacionamento, prontidão e participação nas atividades.

Trabalhos em grupos e também individuais, fazendo com que os alunos estejam sempre ocupados dentro da sala de aula.

Os conteúdos são, às vezes, exaustivos. Porém, procura-se cumprir o que  determina o planejamento, podendo ser parcialmente replanejadas para o bimestre subseqüente.

Bimestralmente reúne-se o corpo docente para a discussão dos trabalhos e o desenvolvimento do aluno.

Como o Plano Político Pedagógico exige que se faça trabalho integrado entre escola e comunidade, os pais participam de reuniões e tomam conhecimento de toda a atividade desenvolvida em cada bimestre. E, para aqueles cujos filhos não alçaram bom rendimento, é solicitado que façam trabalhos extra-classe e também que freqüentem aulas de reforço, fora do horário escolar.

O nosso Plano Político Pedagógico sempre é elaborado com a participação do corpo docente, apesar de ser difícil a disponibilidade de todos.

Embora esteja inserida num bairro carente e periférico, a escola oferece condições para que os docentes possam desenvolver a contento suas atividades.

Salientando ainda que há falta de segurança, materiais, mobiliários, laboratórios, livros para biblioteca e reforma para o prédio da escola, pois o mesmo é antigo, e há necessidade de ampliação.

Fazendo o possível para que nossos alunos não enveredem para a marginalidade, buscamos trazer os pais para escola, para que haja participação dos mesmos na educação de seus filhos.

Assim, promovemos oficinas de trabalhos junto com os pais, gincana de conhecimentos para os alunos, Feira de Conhecimento (Ciências) com a participação de todas as áreas, bem como da comunidade.

 

CRONOGRAMA DE AVALIAÇÃO

O trabalho é organizado de maneira que todos os alunos da classe possam participar, evitando tempo ocioso e, quando estão em trabalho extra-classe, é nomeado um líder para cada grupo que dirigirá os trabalhos com a coordenação do professor.

A seleção dos conteúdos é sempre seguida e, se necessário, determina-se um novo planejamento. Porém, sendo muito flexível para atender as necessidades do momento.

Não há uma metodologia fixa, pois a cada momento surgem oportunidades que interferem no trabalho.

A cada bimestre utiliza-se um sábado para reuniões e estudos com todos os professores.

Embora a avaliação seja um processo contínuo, de observações e provas ainda verificamos a conduta do aluno em sala e fora da escola, pois valorizamos muito a formação integral dos mesmos.

A avaliação do projeto da escola tem a participação de representantes da comunidade, para que os mesmos possam verificar se neste projeto há atendimento de suas necessidades.

A situação da escola quanto à segurança é deficitária, com sérios problemas como vândalos, que se aproveitam da situação e saqueiam a escola sempre que podem, além de drogados e embriagados que rondam a escola no período noturno.

Apesar de ser uma escola com muitos alunos e que, em sua maioria, são carentes, até de amor familiar, nossos trabalhos têm dado bons resultados, diminuindo a evasão e com pequeno número de reprovados.

Quanto ao conhecimento, a maioria é fraca e até com experiências às vezes dolorosas, pelo tipo de vida que levam.

Visando a melhoria social dos mesmos, além de teatros improvisados e palestras, temos participação em várias atividades esportivas e culturais com participação em gincanas culturais onde participam todas as escolas estaduais e municipais da cidade e de municípios vizinhos.

O planejamento não é um plano feito, modelado e acabado. Ele é o indicador, o caminho que possamos seguir, não é definitivo, mas destina-se a atingir um objetivo: a formação integral dos alunos.