AS INTERFACES DA CULTURA LÚDICA NO AMBIENTE ESCOLAR COM AS NARRATIVAS MIDIÁTICAS

 

CARVALHO, Cíntia de Sousa (autora).

SALGADO, Raquel Gonçalves (co-autora).

 

Este estudo visa compreender como os espaços e os materiais lúdicos, disponibilizados pela instituição, interferem na produção da cultura lúdica infantil. Interessa-nos analisar como as crianças estabelecem relações entre o ambiente lúdico da instituição – incluindo aí os espaços, os brinquedos e as brincadeiras – e as narrativas midiáticas, no sentido de entender como essas relações se traduzem em culturas lúdicas. O locus de investigação é uma turma com 18 crianças, de quatro a cinco anos, de uma unidade de Educação Infantil, da rede pública municipal de Rondonópolis/MT. A pesquisa consiste na participação ativa das crianças, dos pesquisadores e das educadoras em oficinas de brinquedos e brincadeiras, com a realização de entrevistas gravadas e videogravações das atividades realizadas conjuntamente. Observa-se, nas brincadeiras e narrativas, as marcas significativas do poder infantil, que assume sentidos distintos conforme o gênero. No grupo de meninas, o poder se expressa por meio da sedução e, entre os meninos, fica visível a relação entre ser violento e ter poder. Um outro aspecto é o fato de as crianças criarem outros espaços como, por exemplo, os cantos da sala para realizarem as brincadeiras que não podem ter visibilidade ao olhar adulto, como o caso daquelas que resgatam a sexualidade. Os resultados apontam que os textos midiáticos que se destacam nas brincadeiras são aqueles que circulam no universo adulto e se apresentam como suportes simbólicos para a produção de culturas lúdicas e que hoje participam do universo infantil, redefinindo papéis sociais pré-estabelecidos relacionados à infância e ao gênero.

 

UFMT/CUR/ICHS/NUPED

E-mail: cintiapsicologia_51@hotmail.com

Órgão Financiador: CNPq